10 coisas das quais sentíamos vergonha e hoje não sentimos mais

IMG_20141024_141210455

As vezes tenho a impressão que antigamente o planeta vivia uma farsa coletiva. Praticamente ninguém podia ser ele mesmo tranquilo, tinha que viver se encaixando em infinitos padrões e obrigações sociais. Que aflição, credo.

Então acaba que a maioria destes ítens que listei aqui se relaciona de alguma maneira com o fato do mundo estar mais tolerante com as diferenças. A liberdade de ser você mesmo começou a existir de fato, e isso aumenta a cada segundo, em diversos aspectos da vida.

Mas calma. É assustador imaginar que o mundo antigamente era pior do que hoje? É. Porque o que se vê por aí de preconceito e discriminação ainda é bem podre, então você imagina 20, 50 100 anos atrás? Temos que reconhecer que em questões sociais o mundo melhorou e muito.

E lembrando também que não deixamos completamente de sentir um certo receio em relação a estas coisas que eu listei. Cada ítem da lista carrega consigo um peso cultural/emocional ou em alguma outra esfera, e não é de uma hora pra outra que isso some. Mas é notável como hoje em dia não não morremos mais de vergonha de…

1. Ir em busca de romance em sites/bares de encontro
Deixou de ser humilhante e ficou normal. Tá deixando de ser normal e ficando cool.

2. Estar solteiro
Acho que é a crise da tomação de conta um da vida do outro que causou isso, mas é palpite bem meu.

3. Ter o cabelo enrolado
Um beijo enorme pro Silvio Santos!

4. Ser homossexual
Também tem a ver com aquilo da tomação de conta, que cá entre nós né.

5. Trocar de carreira muitas vezes
O mercado de trabalho mudou radicalmente, e é lógico que ninguém tem obrigação de definir o que quer da vida aos 18 anos de idade e ponto final. A vida é uma aventura!

6. Não pretender formar família 
“Família” aliás é uma palavra que vem tomando uma conotação tão atrasada e obtusa, que acho que vai acabar perdendo aquele sentido bonito que tinha. Como se “preservar a família” fosse nada mais nada menos do que sustentar aquela farsa que se vivia antigamente, aquela que citei lá em cima.

7. Ser feminista
Graças à internet, que tirou todas aquelas mãozinhas opressoras que tapavam a real definição de feminismo pro mundo não conseguir ver e, lógico, apoiar. A ignorância agora é opcional.

8. Denunciar preconceitos
O melhor exemplo disto é como Pelé reagiu diante das incontáveis ocasiões em que foi criminosamente atacado e o episódio do goleiro Aranha dos Santos. A coisa muda um pouco de figura quando você sabe que o mundo está disposto a te ouvir e quem sabe até te defender. #NÃOPASSARÃO

9. Nosso gosto musical
Cada um cada um 🙂

10. Falar de sexo
É uma coisinha importante demais pra gente fingir que não existe durante 95% (chute) das nossas vidas, não acham?

 

Esqueci de alguma coisa?

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *